Page 3 of 3

Manifesto contra a Intolerância

Manifesto contra a Intolerância

Normalmente não me incomodo com baboseiras sobre nacionalidade, naturalidade, etc. Mas, logo após o primeiro turno das eleições presidenciais, ví o quanto a intolerância está enrraigada no seio do nosso povo.

Logo nós, que somos considerados por outros povos como acolhedores, receptivos, simpáticos e tudo o mais.

Nasceu instantaneamente uma nova categoria de “revoltados”, a grande maioria proveniente das chamadas “redes socias”, lógico. Onde todos se sentem donos da verdade. Do alto de seus teclados, virtuais ou não. Todos sentados em frente aos seus computadores ou com seus “dispositivos móveis”.

De certa forma, vimos um povo engajado, respirando política, certo?

Errado!

O que vi, e aqui estou falando da minha pessoa, foi um monte de gente compartilhando informações sem antes checar a veracidade, postando xingamentos e muitas vezes palavras de baixo calão, contra candidatos e/ou contra simpatizantes desse ou daquele partido, dessa ou daquela corrente politica. Um monte de intolerância. Infelizmente.

Alguns poucos, com mais discernimento, com conhecimento de causa, com coerência, falando de suas preferências e posições politicas, debatendo o bom debate.

Educadamente, democraticamente, sem sair da linha. Isso foi positivo. Muito positivo.

Depois, ao final do segundo turno, ví a pior parte. Um monte de gente, aparentemente sem saber o que estava falando, xingava, denegria, escrutinava o povo nordestino, atribuindo à eles a culpa e a responsabilidade pelo destino de todo um povo, de um pais!

Mais provas de pura intolerância!

Primeiro, sou Brasileiro, Nordestino!

Nascido e criado no Nordeste, até os 16 anos de idade.

Construí toda a minha vida adulta em São Paulo, Região Sudeste do Brasil. Paulistano de coração, corpo e alma.

Brasileiro!

Sou um Paulistano de 29 anos de idade. Chequei aqui nessa cidade em Janeiro de 1986. Amo essa cidade. Mais do que a cidade aonde nasci.

Como um Paulistano de 29 anos de idade, construi e consegui muitas coisas, muito mais do que muitos Paulistanos com a mesma idade e até mais velhos do que eu. Os fatores que me levaram a cosntruir o que cosntrui aqui, listei abaixo:

  • Honestidade
  • Integridade
  • Humildade
  • Paciência
  • Tolerância
  • Compreensão
  • Perdão
  • Muito estudo e preparação
  • Trabalho árduo. Muito trabalho e esforço

Nenhum dos atributos acima estão ligados à minha nacionalidade ou naturalidade.

O que me diferencia dos milhares de imigrantes Italianos, Alemães, Poloneses, Coreanos, Chineses, Portugueses, Japoneses, que vieram para cá, construir suas vidas, historias, etc?

Nada além dos atributos listados acima!

Os atributos acima, me foram, todos eles, ensinados pela minha Mãe, desde a minha mais tenra infância.

Uma mulher fantástica!

Brasileira. Nordestina. Analfabeta.

No que isso a diferencia das mães dos imigrantes listados acima?

Absolutamente nada.

Com ela aprendí, que independente de estudar ou não, de onde estudo ou nascí, aonde vivo ou vou viver, existem valores, crenças fundamentais que tenho que levar comigo, que fazem ser quem sou, que fazem parte da minha essência, meu ser. Ela não preciosu frequentar escola, ou nascer no Sul, Sudeste do Brasil ou em outro país para me ensinar isso.

Depois, uma outra turma começou a se manifestar falando que vai sair do pais.

Tipo…”Não gostei. Vou embora!

Você é do tipo que acha que a escola é quem é responsável pelas notas ruins do seu filho?

Acha que o governo, a sociedade, são os responsáveis pelo uso cada vez mais intenso de drogas pelos adolecentes?

É do tipo que tem pais, avós, já velhos e doentes e os coloca num asilo para terminarem seus dias e não te encherem o saco e vai visitá-los uma vez por mês, por obrigação?

Ok. Por favor, saia desse pais!

Sim, porque nosso país está muito doente!

Nosso país está com diversos tipos de câncer terminal!

Está tomado por diversas doenças degenerativas que o vão matando aos pouquinhos, todos os dias!

Corrupção, má fé, desonestidade, falta de integridade, perda dos valores morais que são a espinha dorsal de qualquer sociedade

Precisando de ajuda. De gente que ainda acredita nas coisas boas e corretas.

De gente que quer deixar algum legado para os seus fihos, para as próximas gerações.

De gente que ainda acredita na honestidade, nas coisa que parecem piegas, mesmo que todos a sua volta estejam rindo.

De gente que acredita que uma ação, um pequeno gesto, pode fazer a diferença. Independente dos que estão à sua volta, estão falando ou fazendo.

Você acha que corrupção é algo que se tornou insuportável em nosso pais?

Pense no quanto você é corruptor no seu dia a dia. Sim, as pequenas coisas contam tambem. Pense em como vai fazer a sua declaração de IR no próximo ano.

Você acha um absurdo o trânsito nas prinicpais avenidas de sua cidade?

Pense e repense suas próprias atitudes no trânsito.

Acha que emprego tá dificil?

Já pensou em olhar, analisar quais são as principais competências que o mercado está buscando?

Quais são os diferenciais em sua área de atuação?

Quantos livros relacionadois à sua área de atuação você lê por ano?

Quantos cursos/treinamentos referentes à sua área de atuação você faz por ano?

Acha que sua cidade está muito suja?

Faz a sua parte, não jogando lixo na rua?

Separa o lixo orgânico do reciclável?

Acha as ruas da sua cidade muito violentas, excludentes?

Como você reage quando algum pedinte ou vendedor te aborda no semaforo?

Vive com medo, acredita no ser humano ou simplesmente tem pavor de tudo aquilo que esteja fora do seu “mundinho”?

Nosso pais precisa de você, de mim, de todos que queiram contribuir para construir uma sociedade melhor, mais integra, mais madura.

Independente da sua nacionalidade, da cidade ou do estado onde você nasceu.

Independente da cor da sua pele, olhos, cabelos, etc.

Precisamos de pessoas que ainda acreditem que as coisas boas e corretas valem a pena.

Precisamos de pessoas que estejam dispostas a pagar o preço por terem os atributos listados acima, independente do que os outros estejam falando.

Podem ser do Nordeste, do Sudeste, do Norte, do Sul ou do Centro-oeste. Não importa. Precisam querer lutar pelo futuro do nosso pais, consequentemente dos nossos filhos, de toda uma geração.

Ok. Eu sei. É um desabafo. Algo muito pessoal.

Abraços e até o próximo post.

Paulo Cesar do Nascimento.

Liderar pelo Exemplo. Você está preparado?

Liderar pelo exemplo. Você está preparado?

Quer liderar?  – Dê o exemplo!

Ouvimos muito falar sobre lideres extraordinários, que conseguem apresentar resultados fantásticos de maneira constante e consistentemente. Muitas vezes, não temos conhecimento do estilo de liderança desses líderes, a não ser que consigamos conversar com alguém de seu time direto, ou indireto. Muitas vezes, são alçados ao título de líderes somente pelos seus resultados e nem sempre pelo seu estilo de liderança.

Os grandes líderes da história, sejam eles do mundo empresarial, esportes ou política, buscaram liderar pelo exemplo, recorrendo quase sempre à regra do ouro: Fazer aos outros, aquilo que gostariam que fizessem a eles próprios.

Liderar pelo exemplo requer altas doses de disciplina, seja ela física ou emocional e de auto liderança. Ilude-se quem pensa que realmente lidera sem esses componentes. Alguns acham que são líderes, mas na verdade, tem apenas subordinados.

Seu time, ou seus liderados estão dispostos a fazer o necessário para que as coisas aconteçam da forma correta, com integridade, consistência, ou eles irão cumprir suas tarefas por que você é o chefe e disse que é para fazer?

Eles vão tentar entender os porquês e tentar melhorar, se empenhar efetivamente com coração e alma dando o seu melhor ou quando algo der errado eles vão dizer que só fizeram o que você pediu e como pediu?

Já vivenciou alguma situação dessas em que acha que seu time não está comprometido?

Provavelmente sim.

O time só se comprometerá se eles sentirem seu líder comprometido. Note que eu escrevi “sentirem”. Isso é muito forte e passa o mesmo tipo de energia para o time.

Quer seu time chegando no horário?

Esteja lá quando eles chegarem e ao invés de criticá-los caso cheguem atrasados, tente entender suas razões.

Quer seu time focado nas atividades mais importantes?

Dê o exemplo, engaje-os, mostre a eles a importância do que estão fazendo.

Quer o seu time fazendo reuniões produtivas?

Toda vez que chama-los para uma reunião, defina a pauta da reunião, os tópicos, o tempo de discussão de cada um deles, qual o resultado esperado da reunião e comece a reunião no horário definido e termine-a no horário definido. Dê o exemplo.

Quer seu time engajado com os objetivos da sua área, empresa, etc.?

Explique claramente os objetivos. Cada um deles. Mostre a importância deles para o negócio, para a empresa, dê sentido a eles. Mostre a cada um deles a importância de sua participação no todo. Faça-os sentirem-se importantes, parte do negócio, não importando em que área eles trabalham, seja na limpeza, seja em vendas, seja no administrativo, não importa a área, todos são importantes.

Se não se sentirem parte do negócio, não conseguirão ver a importância do que fazem nos resultados do mesmo.

Quer ver seu time pensando positivo?

Mostre a eles. Como alguém pode querer motivar os outros, sempre reclamando, achando que nada vai dar certo, pensando negativamente a toda hora?

Se quer ver mudança à sua volta, comece mudando a si mesmo. Como disse Gandhi, seja a mudança que você quer ver.

Isso requer muita disciplina, concentração e foco

Isso é liderar pelo exemplo.

Abraços e até o próximo post.

Saúde mental: Como você cuida da sua?

Saúde mental: Como você cuida da sua?

Como você cuida da sua Saúde mental?

Nos dias de hoje em que vemos a maioria das pessoas literalmente cultuando o físico em nome da saúde, que a meu ver tem muito mais a ver com um apelo estético extremado, padronizado pela sociedade e que leva as pessoas, principalmente os jovens a quase loucura, deixando de viver por muitas vezes, vidas realmente saudáveis, por se privarem de muitas coisas em nome dessa estética.

No entanto, falando de saúde física, existem várias recomendações de médicos, profissionais de saúde em geral, professores de educação física, personal trainers, etc, de como se deve agir, o que comer, quais tipos de exercícios se deve fazer, etc., para que se tenha uma perfeita saúde física e uma vida de bem estar. Recomenda-se o consumo de muita água, frutas, verduras e legumes, alimentação balanceada, prática de exercícios físicos regularmente, etc.

Quando falamos de saúde mental, quase sempre se fala de manutenção da sanidade ou fuga da insanidade. Nos dias em que vivemos e que todos tem acesso a um montante de informação incrível mas sem filtros, o que causa stress e falta de foco/atenção, trânsito caotico, mais atividades do que se acha que pode realizar, etc, etc, etc.

No caso da saúde mental, as recomendações são quase sempre as mesmas:

“Procure não se estressar”;

“Durma pelo menos 8 horas por dia”;

“Procure atividades de lazer”;

“Tente fazer meditação ou alguma outra atividade que te ajude a descansar a mente e relaxar”;

Enfim, as recomendações são muitas. É claro que as recomendações acima são importantes e certamente ajudam a manter a mente sã e melhoram a qualidade de vida. Sem sombra de dúvidas.

Mas, como o corpo físico, a mente também precisa de exercícios e alimentação de qualidade, balanceada.

Você tem exercitado sua mente?

Como e com o que você “alimenta” sua mente diariamente?

Procure pensar.

O que vejo diariamente são pessoas fugindo do ato de pensar, fazendo coisas superficiais, sem profundidade, copiando e colando conteúdo de sites da Internet, sem checar a credibilidade do autor ou mesmo seu nível de conhecimento/proficiência no assunto.

Fugimos tanto do ato de pensar que sempre que temos uma oportunidade de ficar em silêncio e refletir sobre qualquer coisa, buscamos imediatamente ver ou ouvir algo. Se estamos no trânsito e temos algum tempo para reflexão, ou simplesmente dirigir em silêncio para acalmar a mente, ligamos o rádio e ficamos literalmente “zapeando” entre estações de rádio.

Quando chegamos em casa, imediatamente sentamos na frente da TV, quase que automaticamente e ficamos vendo programas que normalmente não adicionam absolutamente nada às nossas vidas. Sem querer generalizar, mas isso é o que a grande maioria das pessoas faz.

Procuro exercitar a mente resolvendo problemas, pensando em projetos que ajudem à minha família e às pessoas a minha volta, como melhorar processos de trabalho, de estudo, etc. É assim que eu cuido da minha saúde mental.

Especialistas já comprovaram que aquelas pessoas que “exercitam” a mente, o raciocínio, tem menor propensão a sofrer de doenças mentais.

E quanto ao alimento da nossa mente?

A muito tempo deixei de assistir aos telejornais e ouvir noticiário nos rádios. Já fui chamado de alienado diversas vezes por causa disso, ou então ouço perguntas do tipo:

Como é que você se informa?

Acredito que temos que alimentar a mente com coisas boas, positivas, com informação relevante que vais nos trazer conhecimento e informação que pode ser utilizada no nosso dia a dia para adicionara valor às nossas vidas, ao que fazemos, aos nossos relacionamentos, etc. Não consigo enxergar qual o benefício de depois de um longo dia de trabalho, assistir aos noticiários falando sobre corrupção, mortes, acidentes de transito, falta de infra-estrutura, crise, alta de inflação, alta de juros, etc., ao invés disso prefiro ler um bom livro sobre prosperidade, motivação, liderança, transformação ou mesmo um bom livro de ficção, que no mínimo me ajuda a melhorar o vocabulário e me traz mais informação/conhecimento.

Moro em São Paulo, que é conhecida com a 5a. maior metrópole do mundo e certamente com um dos piores trânsitos do mundo. Sabedor disso, não consigo enxergar qualquer valor ou vantagem em dirigir de casa ao trabalho, ouvindo que a cidade está com 100 ou mais KM de vias congestionadas, que temos acidentes nas principais vias, que as marginais estão paradas, etc, etc, etc.

Isso não causa mais stress?

Isso não aumenta o nível de ansiedade?

Ao invés disso, prefiro ouvir boa música, ouvir áudio books ou simplesmente, dirigir em silêncio, pensando, refletindo, procurando respirar calmamente. Isso me deixa mais calmo, menos ansioso e me permite chegar no trabalho melhor, e ter um dias mais produtivo, mais efetivo.

Obviamente pratico exercícios físicos pelo menos 3 vezes por semana, o que me ajuda a manter a saúde física em dia e melhora o nível de sanidade mental.

Essas são as forma que encontrei de exercitar corpo, mente e de alimentar a minha mente com coisas boas e positivas.

E você…como anda a sua saúde mental?

Um abraço e até o próximo post.

Talento inato ou prática deliberada?

Talento inato ou prática deliberada?

Diariamente, nos programas de rádio e TV, nas revistas de negócios, esportes, moda, entretenimento, etc., ouvimos ou lemos sobre pessoas consideradas extraordinárias em suas áreas de atuação. Talento virou uma palavra tão comum, quase um clichê, que vemos elevadas ao posto de celebridades do dia para a noite, pesssoas que aparentemente não tem nenhuma habilidade especial. Não estou aqui tentando falar dessas pessoas.

Me refiro a talento quando falo de esportistas do porte de Ronaldo Fenômeno, Michael Jordan, artistas do porte de Bruce Springsteen, Beetles, Madonna, Michael jackson, etc., além de escritores do porte de J.K Rowling, Stephen King, Paulo Coelho, Oscar Schmidt, Ayrton Senna, etc. São dessas pessoas consideradas extraordinárias que estou tentando escrever aqui. Pessoas que notadamente produzem constante e consistentemente, algo acima da média.

Definição de Prática

“Prática é o ato de ensair um comportamento ou atividade repetidamente com o objetivo de melhorá-la ou dominá-la, como no ditado popular, “A Prática leva a perfeição”.”

Prática deliberada

Segundo Anders Ericsson, professor de psicologia da Florida State University, um dos maiores pesquisadores do assunto, prática delibera significa a prática constante de habilidades específicas, com o objetivo de superar ainda mais os limites de performance e qualidade, não importando o quanto se é bom naquilo que se faz. No caso dos esportes, podemos definir vários exemplos na história de medalhistas olimpicos que mesmo após deterem o recorde mundial, continuam treinando arduamente para melhorar seu tempo em 1 milésimo de segundo, acertar a cesta de basquete de uma distância um pouco maior, de um ângilo diferente, etc.

Costumamos nos referir a essas pessoas consideradas excepcionais de maneira quase celestial, como se considerando-os verdadeiros deuses, seres especiais, de outro planeta. Geralmente nos referimos ao seu nivel atual de habilidade, sem nunca nos atermos ao quanto ele trabalhou, praticou, repetiu, para atingir tal nivel de excelência. Particularmente me interesso muito pelo assunto alta performance, poder da mente, força de vontade, disciplina, etc. Me lembro de uma entrevista no fantástico com o médico francês que operou os 2 joelhos do Ronaldo Fenômeno e o reporter perguntou a ele se o Ronaldo tinha alguma característica genética especial, pelo fato dele ter sofrido 2 lesões tão graves, ter se recuperado e voltado a jogar em altíssimo nivel. O médico respondeu que na verdade a única coisa que o Ronaldo tinha diferente dos demais seres humanos era uma disciplina impressionante, uma força de vontade sem igual e um enorme poder mental de se manter focado no objetivo que era o de ficar bom e voltar a jogar. Citou ainda que diversas vezes ia visitá-lo no quarto de madrugada e lá estava o atleta fazendo fisioterapia. Obviamente, quando vimos o jogador novamente em campo com suas jogadas maravilhosas, imediatamente o classificamos como fantástico, fenômeno, etc., o que na verdade ele era. Me recordo de uma entrevista com Mike Tyson, no auge de sua carreira que falou que levantava todos os dias as 4 da manhã para treinar porque sabia que nenhum dos seus concorrentes estaria fazendo o mesmo.

Anders Ericsson acredita, baseado em suas pesquisas que na verdade, só se atinge o nível de excelência em algo, após 10.000 horas de prática deliberada, o que dá mais ou menos 3 horas diárias de prática durante 10 anos. Se olharmos as histórias de artistas famosos, esportistas, políticos, que atingiram um nível de excelência que os deixou conhecidos e admirados mundialmente, chegaremos mais ou menos aos números do Dr. Anders Ericsson.

Na verdade, não tem segredo. Para escrever, tem que primeiro ler, para escrever melhor, tem que escrever diversas vezes e revisar um maior número de vezes. Para falar bem em público, tem que praticar muito, para atuar bem, tem que praticar muito. Para ser bom em qualquer coisa que se faça, tem que praticar, praticar e praticar.

Acredito que principalmente no nosso país, por causa da nossa cultura, desde a mais tenra infância, estamos muito habituados a ouvir que não é possível fazer, não importa o que. Vejo no dia a dia, as pessoas fazendo um esforço enorme e gastando uma energia incrível para justificar o porque não fazer algo, ao invés de buscar as razões e o que é necessário para fazer. Os nosso ídolos estão tão acima de nós, nas nossas convicções e considerações, que acreditamos, na maioria das vezes, e aqui obviamente não estou generalizando, que não é possível atingir o nivel deles. Geralmente utilizamos frases como “Ele tem mais tempo”, “Ele tem outras condições e outro ritmo de vida”, e a mais comum “Eu não consigo fazer isso”.

Lí recentemente a biografia de Nelson mandela. História fantástica.

Como ele se tornou um líder maravilhoso?

Praticando, praticando, praticando. Durante os seus anos de prisão, ele ao invés de  simplesmente nutrir sentimentos de ódio por seus opressores, praticou diariamente, paciência, tolerência, compreensão, sabedoria, perdão, fé e estudou muito, política, economia, direito local e internacional, histórias de grande líderes mundiais, sobre guerra e guerra de guerrilha, estratégia, etc.

O assunto é tão interessante que poderia ficar escrevendo páginas e páginas a respeito. O objetivo do texto é conclamar às pessoas a se livrarem de suas limitações, físicas, mentais, etc., a acreditar mais em sí mesmas, buscar conhecimento, informação sobre aquilo que se quer atingir, estudar e praticar, praticar, praticar. Leiam histórias que lhes tragam inspiração, tentem entender como eles chegaram lá, o que eles fizeram, o que leram, o que viram ou assistiram. Procure informações sobre a carreira de Ted Williams, Michael Jordan, Michael Jackson, sobre o começo da carreira dos beatles, Ronaldo Fenômeno, Steve Jobs, Ricardo Semler, Oscar Shmidt, Ayrton Senna, etc.

Para muitos, sucesso está diretamente ligado ao montante que se tem na conta, mas acredite, isso é somente consequência de uma carreira bem sucedida. Sucesso é muito mais que isso.

Vamos pensar menos em dons inatos e praticar mais de maneira deliberada?

Um grande abraço e até o próximo post.

Como você aproveita seu tempo livre?

Acho que a melhor forma de começar esse texto é com a pergunta:

O quê você considera tempo livre?

Li o livro do Abilio Diniz, fundador do Grupo Pão de Açúcar e em uma passagem do livro ele fala que ter liberdade, na verdade é ter total controle sobre a agenda. Não sei se concordo plenamente, mas certamente, não discordo.

Estou eu aqui, na espera de um pronto socorro, por quase 2 horas e navegando entre uma coisa e outra. Lendo artigos no LinkedIn Pulse, olhando meu Gmail quando literalmente “popam (de pop up)” notificações no tablet e desviando minha atenção para os emails corporativos que são notificados no meu smartphome.

Isso significa que não estou com a mente descansando ou simplesmente vagando, o que seria quase impossível, dado o local onde me encontro, mas ao mesmo tempo, não estou necessariamente focado em nada, porquê estou com a atenção sendo desviada a todo momento.

No ritmo atual em que vivemos, é quase impossível termos “tempo livre”, porque a miríade de informações a que somos submetidos, bem como as interrupções constantes nos trazem essa sensação de estresse constante e também, certa angustia. Muitas vezes, me sinto improdutivo, embora tenha a sensação de não parar 1 minuto sequer. A sensação de improdutividade, traz frustração e obviamente, mais stress. Tenho convicção de que embora sofra constantes interrupções, é responsabilidade minha organizar minha agenda e priorizar minhas atividades de maneira que possa claramente cumprir com minhas atividades e me tornar produtivo, de maneira que possa definitivamente eliminar essa sensação de frustração e todos os malefícios advindos dela.

Mas que é difícil se preparar física e mentalmente para isso, ah, isso é.

E olha que estudo assuntos como produtividade, gestão do tempo/atividades, poder da mente, etc., a mais de 10 anos, o que não desenvolvi ainda foi a disciplina necessária para fazer isso de maneira constante e consistente

Alguma dica?

Evento Motivador

Evento Motivador

Toda e qualquer mudança na nossa vida tem um Evento Motivador.

Mudar de casa, de trabalho, de namorada(o), de caminho, mudar o rumo da vida, não importa qual seja a mudança que se pretenda fazer na vida, aconteceu alguma coisa antes de se tomar essa decisão que nos motivou a fazer isso.

O Evento Motivador é algo tão presente em nossa vida, no nosso dia a dia, que até mesmo para fazer aquilo que fazemos todos os dias, até mesmo as rotinas cotidianas, tem um evento motivador. Seja o sorriso do filho ou da esposa, seja um sonho que tivemos, seja um objetivo a ser alcançado, não importa, sempre temos algo que nos motivou a viver mais uma dia do mesmo jeito, ou de forma totalmente diferente do dia anterior.

Muitas pessoas são auto motivadas, criam seus eventos motivadores todos os dias, todas as horas, sonham, criam novos desafios, imaginam mudanças em suas vidas e nas vidas das pessoas a sua volta, algumas pensam em mudar o mundo, outras pensam em mudar o seu mundo e tudo isso os motiva a dar o próximo passo, a fazer a mudança que a tanto tempo se espera. As vezes é relacionado á saúde, as vezes aos relacionamentos pessoais e profissionais, as vezes à familia, as vezes uma indignação, as vezes é simplesmente uma mudança de rotina, como forma de “enganar” a mente e criar um novo hoje, uma nova realidade. Temos que achar diariamente os nosso eventos motivadores, para darmos o próximo passo, para buscarmos crescer como seres humanos, como membros da sociedade, como profissionais, como filhos do mundo.

Muitas vezes, você chega no trabalho ou em casa com “aquele” brilho no olhar, com “aquele” sorriso, com “aquela” vitalidade e isso muda também a realidade das pessoas à sua volta, muda o seu ambiente.

Todos nós podemos criar nosso eventos motivadores, todos nós podemos mudar o nosso “hoje”, o nosso mundo. Todos nós podemos nos condicionar a isso, como nos condicionamos a tantas outras coisas. Como ir diariamente ao trabalho, comer, beber, falar com as pessoas. Todos nós deveríamos fazer isso, deveríamos sempre observar à nossa volta o quanto somos previlegiados e felizes, com o que temos, o que somos, etc.

O evento Motivador pode ser simplesmente um desconforto. Alguns especialistas aconselham que todos os dias, façamos algo que nos deixa desconfortáveis, como uma forma de dizer à mente que sim, você pode controlá-la, você pode mudar os seus “arquivos” mentais e tornar coisas consideradas desconfortáveis em coisas confortáveis, que a decisão é e será sempre sua.

Pense nisso!!!

Que mudança você fará na sua vida hoje?

Qual o seu evento motivador de hoje?

Um abraço e até o próximo post.

Newer posts »

© 2018 Evento Motivador

Theme by Anders NorenUp ↑